segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Tem problema o bebê conviver com um cachorro ou um gato?


 
Muitos cachorros convivem bem com bebês, mas é sempre bom saber quais são os potenciais riscos da aproximação entre um bichinho de estimação e uma criança tão pequena.

Segundo o pediatra Fábio Picchi Martins, com cuidados básicos de higiene e uma certa distância de contato íntimo com o animal, evitando as lambidas, por exemplo, é raro ter que baní-lo da família.

Se você está grávida e tem um cachorrinho em casa, uma boa ideia é arranjar um esquema para que você possa cumprimentar o cãozinho longe do bebê, quando chegar da maternidade. Você pode pedir para alguém dar uma volta com o cachorro enquanto entra em casa com o bebê, e aí, quando ele voltar, pode recebê-lo dando toda a atenção que ele merece, afinal ele estava com saudade!



Cachorros são muito curiosos, por isso não dá para prever como eles vão agir com o bebê. Você pode dar uma peça de roupa do bebê para ele cheirar, e, num momento em que tanto cachorro como bebê estiverem calmos, apresentar os dois, deixando o cachorro cheirar o pezinho do bebê.

Enquanto o bebê é bem novinho, é fácil mantê-lo razoavelmente afastado do cachorro da casa. É aconselhável não permitir que o cão entre no quarto da criança. Não deixe o cachorro e o bebê na mesma cama ou sofá. Dar bastante atenção ao cachorro pode ajudar a evitar que ele fique com muito ciúme.

Nunca deixe o bebê sozinho com o cachorro, principalmente quando a criança começar a engatinhar. Se o bebê puxar o pelo ou o rabo do cachorro, o único jeito de o animal se desvencilhar vai ser dando uma mordida. Outro cuidado é não aproximar o rosto do bebê ao focinho do cachorro. O "olho no olho" pode ser encarado como uma ameaça pelo animal.

Os gatos não costumam ficar com ciúme do bebê. O problema com o gato é conseguir evitar que ele entre no berço. Uma opção é usar um tipo de mosquiteiro com elástico quando o bebê estiver no berço ou no carrinho.

Um truque que donos de gatos usam é, antes de o bebê nascer, colocar papel-alumínio dentro do berço. Se o gato entrar, vai se assustar com o barulho e muito provavelmente não vai querer entrar lá de novo.

O gato costuma simplesmente fugir da criança se está incomodado, mas alguns podem morder ou arranhar.

É até comum crianças pequenas levarem mordidinhas de seus próprios bichos de estimação, mas normalmente se trata de uma brincadeira do animal. De qualquer jeito, é importante ficar de olho.

Portõezinhos podem ser úteis para manter o cachorro longe do quarto do bebê, mas jamais "pule" o portão fechado com seu filho no colo. Vocês dois podem cair e se machucar feio!

Se você tiver quintal, recolha sempre o cocô do cachorro antes de deixar seu filho brincar lá fora.

Mantenha o animal de estimação sempre vermifugado e vacinado, de acordo com as instruções do veterinário.


Fonte: http://brasil.babycenter.com/baby/protecao/brincar-cachorro/

Nenhum comentário:

Postar um comentário